Síria (SY)


  • Land Síria
  • Continente: Ásia
  • Área: 185,180 km²
  • Habitantes: 17,951,639
  • Capital: Damasco
  • Código ISO: SY
  • Idioma oficial: arábe
  • Prefixo: +963
  • Moeda: libra síria
  • Matrícula automóvel: SYR
  • Rotas de Síria: 782
  • Rotas para Síria: 886
  • Aeroportos mais procurados: Damasco (DAM), Alepo (ALP), Kameshli (KAC)
  • Cidades grandes: Alepo, Damasco, Homs, Hamah, Latakia, Dayr az Zawr, Ar Raqqah, Al Bāb, Idlib, Duma, As Safīrah, Salamiyah, Tartus, Ath Thawrah, Al Ḩasakah
  • Companhia com sede em Síria: Cham Wings Airlines, Syrian Arab Airlines

A Síria, às margens do mar Mediterrâneo, condivide fronteiras com Israel e Jordânia, ao sul; com o Líbano e o mar Mediterrâneo; ao norte, com a Turquia; e ao leste com o Iraque.

Geografia:
Geograficamente, pode-se dividir a Síria em quatro zonas: na planície costeira fértil, ao oeste; o planalto e a cordilheira de Jebel an-Nusariyah; e as planícies férteis no centro; bem como os desertos e savanas, ao sudeste.

Montanhas e rios:
O Hermon é o pico culminante do país, com 2.814 metros. Está nos altiplanos que são a fronteira natural entre a Síria e o Líbano. O Eufrates, que nasce na Turquia e desemboca no Iraque, passa por 680 km no território sírio.

Clima e melhor época para visitar:
Na costa, o clima é tropical com verões muito quentes e invernos temperados. Nas zonas internas do país, o clima faz-se seco e continental com oscilações térmicas entre o dia e a noite e entre o verão e o inverno. No país, as precipitações são escarsar e caem na costa.

Idioma:
O idioma oficial é o árabe. Em alguns grupos são falados também o curdo e o arménio. O inglês e o francês também são falados por pessoas mais novas nas cidades e nos principais centros turísticos.

Saúde e vacinação:
Recomenda-se a vacinação contra hepatite A, tifo, poliomielite, difteria e tétano. Aconselham-se igualmente roupas que cubram todo o corpo e repelentes contra moscas e insetos que transmitem enfermidades viróticas. Somente em grandes cidades estão assegurados bons serviços de assistência médica. É importante possuir um seguro de saúde válido em todo o mundo e que assegure explicitamente a repatriação da Síria ou a transferência para um outro país, em casos de emergência. Além disto, recomendamos o consumo de água engarrafada; os frutos devem ser descascados e as verduras e legumes deverão ser cozidos. Visto haver perigo de infecção, deve-se portar também um pequeno kit de remédios consigo.

Entrada no país:
Os cidadãos nacionais deverão apresentar para a emissão do visto de turista ou seu passaporte com validade mínima de seis meses. Actualmente há exigência de visto de turista, que deverá ser requerido antes da viagem, na Secção Consular da Embaixada da Síria.
Para maiores informações a respeito de recentes determinações legais quanto à vacinas, entrada e segurança, informe-se junto ao consulado ou no seguinte enlace: http://www.secomunidades.pt/web/guest/listapaises/ ou http://www.syriatourism.org/index.php?module=subjects&func=listpages&subid=155&newlang=eng

Chegada e prosseguimento da viagem:
Actualmente, somente a Syrian Arab Airways (RB) oferece conexões directamente da Europa para Damasco (DAM). De Lisboa (LIS), há voos oferecidos pela British Airways (BA) em codeshare com a TAP Air Portugal (TP) via Londres (LHR); pela Ibéria (IB) em codeshare com a Turkish Airlines (TK) via Madrid (MAD) e Istambul (IST); pela Turkish Airlines (TK) em codeshare com a TAP Air Portugal (TP) via Madrid (MAD) e Istambul (IST); pela Air One (AP) em codeshare com a Syrianair (RB) via Roma (FCO); pela Air France (AF) em codeshare com a Turkish Airlines (TK) via Paris (CDG) e Istambul (IST).

Capital:
O coração da Síria encontra-se na capital, Damasco. Segundo antigas tradições, Damasco tem mais de 7.000 anos e até ao presente é o sítio mais habitado constantemente na terra. A cidade antiga foi cercada por muros romanos e, desde 1979, faz parte da lista do património da humanidade da UNESCO. Ali encontram-se um sem-número de atracções turísticas. Particularmente belas são as inúmeras construções muçulmanas e os bazares orientais encantadores. A construção muito importante é a mesquita Omayyad: originalmente, há 3.000 anos, era um templo em honra ao deus do Sol e do Trovão, que foi depois um templo em honra a Júpiter, depois uma catedral cristãa e, finalmente, uma mesquita. Também recomendamos que se admire os três minaretes diversos e a mesquita em si mesma, com seus mosaicos, que é uma das obras-de-arte da arquitectura islâmica. Bem diante da mesquita encontra-se o museu de Saladino, o conquistador venerado pelos muçulmanos. Está situado em um maravilhoso jardim ao norte da mesquita que conquista com sua cúpula encarnada. Também não se deve deixar de visitar o palácio Azem, ao sul da mesquita, que foi construído em 1749, com diversos estratos de basalto e de rocha calcárea; e o bairro cristão, ao leste, com suas igrejas plenas de história. Depois de um giro amplo na cidade, aconselhamos uma visita aos numerosos mercados. Os habitantes de Damasco são notoriamente orgulhosos de seus produtos artesanais, que são tidos como os melhores do mundo árabe. A dez quilómetros ao sul da cidade encontra-se o relicário de Saya Zaynab, em honra ao neto do profeta Maomé. O relicário é decorado com ouro, prata e o maravilhoso candelabro é visitado todo o dia por centenas de pessas provenientes de todo o mundo muçulmano.

Atrações turísticas e praias:
A República Árabe da Síria é um paraíso para arqueólogos, pois em todos os lugares do país há ruínas de castelos de cruzados, anfiteatros romanos e cidades em ruínas. Muitos povos do mediterrâneo subjugaram esta faixa de terra ao longo dos séculos, que se eternizaram-se arquitectónicamente.

A cerca de 150 km ao sul de Damasco, encontra-se a cidade de Bosra, que também figura na lista dos patrimónios da humanidade da UNESCO. Na cidade velha, está também o anfiteatro romano mais bonito do mundo, que foi construído no século II d.C. e onde 15.000 pessoas têm lugar. Ainda hoje, dá-se ali o festival de música e de teatro de Bosra.

Uma outra cidade muito interessante na Síria é a cidade de Alepo. Ela é a segunda maior cidade do país e foi um importante centro comercial, à época dos romanos. Especialmente bonito é o basar coberto, com seu clima oriental. É um dos maiores do mundo e ocupa uma área de cerca de 12 km² . Outras atracções turísticas são a cidadela, a Karawanserei e o museu Nacional.

Também merecer mencionar o Krak des Chevaliers, o castelo dos cruzados mais importante da Síria. A sua construção iniciou em 1.031 sobre um monte de 650 metros entre a localidade dos Homs e Tartus. Esta localidade é uma obra-prima da arquitectura dos cruzados. Os muros externos têm uma espessura de 30 metros e existem sete torres que serviam à defesa.

Aos que desejem praias, aconselhamos as praias de Lattakia que têm baías muito belas com muitos lugares à sombra. As praias são muito bem exploradas turisticamente e visitadas tanto por turistas estrangeiros quanto por turistas árabes.

Imperdível:
Provavelmente a atracção turística mais importante da Síria é a antiga cidade de oásis de Palmira, que pertence ao património da humanidade desde 1980. Ela é um dos sítios mais bonitos e impressionantes do oriente. Antigamente a cidade encontrava-se em uma rota de comércio importante e, devido à sua posição favorável, tornou-se muito rica na antiguidade. Palmyra é, ao contrário de Petra - na Jordânia - um local relativamente tranquilo, onde quase não há turistas.

Religião:
Cerca de 72% da população são muçulmanos sunitas, 12% são alevitas, 10% cristãos e os restantes - drusos e judeu.

Cidades grandes e acomodação:
Damaskus, Aleppo, Homs, Lattakia und Hama