Honduras (HN)


Honduras é um país na América Central, que condivide suas fronteiras com a Guatemala, El Salvador, a Nicarágua e com as Caraíbas. Além disto, o país tem acesso ao Pacífico por meio do golfo de Fonseca, ao sudoeste, onde encontram-se algumas ilhas vulcânicas, que pertencem ao território nacional.

Geografia:
Honduras é um país principalmente montanhoso. De leste para oeste, corre um grande maciço, cortado por muitos rios. O país ainda possui uma riqueza natural muito grande e, na reserva de biosfera “Rio Plátano”, ao nordeste, há a última floresta tropical contínua ainda intacta. Foi declarada em 1982 como património mundial pela UNESCO, bem como o maior sistema de corais das Caraíbas (Islas de la Bahía) e do mundo, depois do sistema de corais da Austrália. Em comparação, o sul é plano e marcado por pastagens. Do plantalto central, onde vive a maior parte dos hondurenhos, correm rios em sentido norte para a costa das Caraíbas e os plantaltos no sul, rio que correm para o Pacífico.

Montanhas e rios:
O Cerro de Las Minas é o ponto culminante do país, com 2.865 metros e o seu maior rio é o Patuca, com 320 km, que é o segundo maior da América Central. O maior lago e também o maior reservatório de água potável de Honduras é o Lago de Yojoa. As imediações deste lago é muito fértil e, consequentemente, um terreno aproveitado para plantações de frutas e café. Até mais de 700 tipos de aves utilizam esta área para procriar e tornam, com isto, as margens do lago de Yojoa um destino muito procurado pela população.

Clima e melhor época para visitar:
O clima em Honduras é tropical na costa e no interior e nos planaltos, temperado. Há somente duas estações no ano: uma seca, entre Novembro e Abril; e uma de chuvas, entre Maio e Outubro. As temperaturas são baixas em regiões mais altas; a costa norte, é quente e durante todo o ano, com muitas precipitações. O clima ao sul, na costa do Pacífico, é mais tropical e possui também um período seco. Além disto, entre Junho e Setembro, deve-se contar com ciclones em Honduras.

Idioma:
O idioma oficial é o espanhol. Inglês é compreendido nas cidades e nas ilhas Bay.

Saúde e vacinação:
Recomenda-se a vacinação contra hepatite A, tifo, poliomielite, difteria e tétano. Aconselham-se igualmente roupas que cubram todo o corpo e repelentes contra moscas e insetos que transmitem enfermidades viróticas. Em Honduras, durante todo o ano há grande possibilidade de contracção de malária. Por favor, informe-se, atempadamente, junto ao seu médico de família ou ao Instituto de Higiene e Medicina Tropical sobre possíveis profilaxias. Somente em grandes cidades e em centros turísticos estão assegurados bons serviços de assistência médica. É importante possuir um seguro de saúde válido em todo o mundo e que assegure explicitamente a repatriação de Honduras ou transferência para outro país, em casos de emergência. Além disto, recomendamos o consumo de água engarrafada; os frutos devem ser descascados e as verduras e legumes deverão ser cozidos. Visto haver perigo de infecção, deve-se portar também um pequeno kit de remédios consigo.

Entrada no país:
Os cidadãos nacionais não necessitam de visto de turista. Para maiores informações, por favor, dirija-se ao seguinte sítio: http://www.embahonduras.es/visados_para_entrar_a_honduras.php

Chegada e prosseguimento da viagem:
Da Europa não há voos directos para Honduras. Os voos são em geral somente com escalas nos EUA ou um país da América Central. De Lisboa (LIS), por exemplo, há muitos voos oferecidos pela Air France (AF), Continental Airlines (CO), Delta Air Lines (DL) em codeshare com a TAP Air Portugal (TP), via Frankfurt (FRA), Paris (CDG) e Houston (IAH) até Tegucigalpa (TGU). Voos domésticos são oferecidos por diversas companhias aéreas locais tais como a Aerolíneas Sosa (P4) ou a Aero Honduras (4S) entre Tegucigalpa (TGU) e Guanaja (GJA), Tela (TEA), San Pedro Sula (SAP) ou para a ilha de Roatan (RTB).

Capital:
Tegucigalpa, a capital, abriga em sua região metropolitana cerca de 900.000 habitantes. Está em um planalto a 940 metros, às margens do rio Coluteca. As montanhas cercantes são cobertas com florestas de pinho e seu clima é fresco e temperado. Do parque da cidade La Leona, tem-se uma visão da cidade antiga e onde pode-se fazer longos passeios. Entre as atracções de Tegucigalpa estão várias igrejas antigas, a catedral com sua cúpula barroca do século XVIII e o museu nacional, com sua colecção incomparável de objectos de arte pré-colombiana. Também não se deve perder de forma alguma o parque nacional de La Tigra, que está a alguns km da capital, pois ali há uma floresta de névoas com um microclima próprio.

Atrações turísticas e acomodação:
Tela é a cidade mais procurada pelos muitos visitantes da costa hondurenha das Caraíbas. Esta pequena localidade tranquila possui alguma das praias mais belas da costa norte e oferece várias possibilidades de acomodação. As praias com areias brancas e finas, com coqueiros que oferecem sombra, convidam ao banho de mar. Uma outra dica é o parque nacional marinho de Punta Sal, ao oeste de Tela. Este parque, com suas rochas, abriga florestas palúdicas, pântanos e uma pequena floresta tropical. Toda a costa com suas falésias é quase intocável e sem uma verdadeira infra-estrutura, de modo que o visitante terá que portar o seu mantimento e rede. A viagem para Tela também é uma aventura por si - uma combinação de autocarro e barco, com uma marcha.

Trujillo também é uma cidade que merece ser visitada. Foi, durante o período colonial, a capital de Honduras. Esta condição é testemunhada em muitos edifícios majestosos e coloridos. Trujillo possui também praias tropicais incomparáveis, conhecidas pela Secretaria de Turismo, o que contribuiu para o estabelecimento de uma infra-estrutura boa nesta região.

Ao final de uma viagem por Honduras, recomendamos também uma visita às ilhas de Roatán, Guanaja e Utila, a 50 km no mar das Caraíbas. Estas ilhas montanhosas e coberta por uma densa floresta verde são também um paraíso para mergulhadores e possuem longas praias com areias brancas e são protegidas por uma barreira de corais. Depois do Great Barrier Reef na Austrália, estas ilhas possuem o melhor sistema de corais da terra. A população insulana que fala inglês também promoveu uma infra-estrutura turística boa e pode-se encontrar escolas de mergulho e hotéis em todas as partes.

Imperdível:
O ponto alto de uma viagem a Honduras, sem dúvidas, é uma visita às ruínas maias de Copán. Copán foi uma das cidades mais importantes da civilização maia nos séculos VII e IX. Este sítio arqueológico foi declarado património da humanidade pela UNESCO em 1980. Supõe-se que Copán foi habitada já 500 anos antes de Cristo e durante seu apogeu, tinha uma população de cerca de 26.000 habitantes. Por motivo de uma provável redução de alimentos e da consequente má nutrição dos maias há 1.000 anos, a população abandonou Copán. Com isto, a selva tomou conta dos edifícios durante os séculos, de forma que os conquistadores jamais tiveram conhecimento de sua existência. É muito impressionante, principalmente, os templos, pátios, a praça de jogos de bola, o grande anfiteatro e as moradas que oferecem uma visão sobre a vida cotidiana dos maias. Também é muito atractiva a localização de Copán, pois está em meio à floresta tropical. O caminho fabuloso até lá, em meio à floresta, faz-se acompanhar por construções ainda não completamente escavadas.

Religião:
Mais de 97% da população é católica, mas ainda há uma minoria de 3% de protestantes.

Cidades grandes e acomodação:
Tegucigalpa, San Pedro Sula, Choloma, La Ceiba e El Progreso.