Coreia do Sul (KR)


A Coreia do Sul é a parte sul da península da Coreia, na Ásia Oriental. O único país a condividir suas fronteiras é com a Coreia do Norte. Além disto, faz fronteiras marítimas com o mar do Leste (mar do Japão) ao leste; ao sul, com o estreito da Coreia; e ao oeste, ao mar Amarelo.

Geografia:
O país montanhoso é composto, em grande parte, de montanhas com florestas, ao leste; e planícies férteis ao oeste e ao sul, que são muito povoadas. Geograficamente, a Coreia do Sul está em uma zona de clima moderado, onde há practicamente as quatro estações do ano, como se conhece na Europa Central e Setentrional. A únicas exceções são costas ao sul e a ilha de Jeju-Do, que estão em uma zona de clima subtropical e os vales em alto, onde há clima de montanha, que são decisivos para o clima.

Montanhas e rios:
O vulcão extinto Halla-San é o ponto culminante do país, com 1.950 metros de altura, na ilha de Jeju-Do, que está a 85 km diante da costa continental coreana. O Jirisan é o ponto culminante no continente, com 1,915 metros. O país é percorrido por quatro grandes rios, dos quais o Nakdonggang, com 525 km, é o mais comprido.

Clima é melhor época para visitar:
Geograficamente, a Coreia do Sul está em uma zona climática temperada. Há practicamente todas as quatro estações do ano, como são conhecidas na Europa Central e Setentrional. Exceptuam-se a costa sul e a ilha de Jeju-Do, que estão em uma zona climática subtropical e os vales altos, em que há um clima de montanha - decisivos para o clima, em geral.

Idioma:
O idioma oficial é o coreano. Nas cidades e centros turísticos, em via de regra, também são compreendidos o inglês e o japonês.

Saúde e vacinação:
Recomenda-se a vacinação contra hepatite A, tifo, poliomielite, difteria e tétano. Aconselham-se igualmente roupas que cubram todo o corpo e repelentes contra moscas e insetos que transmitem enfermidades viróticas. Em grandes cidades e em centros turísticos estão assegurados excelentes serviços de assistência médica. É importante possuir um seguro de saúde válido em todo o mundo e que assegure explicitamente a repatriação da Coreia do Sul ou a transferência para um outro país, em casos de emergência. Além disto, recomendamos o consumo de água engarrafada; os frutos devem ser descascados e as verduras e legumes deverão ser cozidos. Visto haver perigo de infecção, deve-se portar também um pequeno kit de remédios consigo.

Entrada no país:
Os portugueses portadores de passaporte nacional válido estão isentos de visto de entrada na República da Coreia desde que a sua estadia não exceda 60 dias e não se destine ao exercício de profissão remunerada.

Conselhos sobre costumes locais:
Aconselha-se que se certifique da possibilidade de assegurar a totalidade das suas despesas, designadamente das de hotel. O facto de não satisfazer esta exigência atempadamente poder-lhe-á trazer situações desagradáveis.

Restrições Aduaneiras/ Sanitárias à Importação de Produtos:

Artigos proibidos:
- Objectos atentatórios da segurança e da moralidade;
- Dinheiro falso.
Artigos restritos:
- armas (incluindo imitações e armas decorativas);
- narcóticos, substâncias psicotrópicas e derivados;
- produtos para comércio;
- propriedade cultural.

Bens a declarar:
- dinheiro cujo montante seja superior a USD 10 mil (incluindo traveler's cheques)
- peças de joalharia ou acessórios decorativos de valor superior a USD 600.

Quarentena:
Todos os passageiros que cheguem à Coreia com animais deverão apresentar um certificado de quarentena do país de origem dirigido ao Serviço Nacional de Investigação Veterinária e Quarentena da Coreia. Todos os passageiros que cheguem à Coreia com plantas ou produtos de plantas (frutos frescos, vegetais frescos, batatas, etc.) deverão apresentar um certificado do país de origem. Produtos de origem animal tais como leite e derivados também são sujeitos a inspeção sanitária.
http://prt.mofat.go.kr/eng/index.jsp

Chegada e prosseguimento da viagem:
A Coreia do Sul é acessível de todas as partes da terra. A partir da Europa há diariamente voos regulares non-stop, oferecidos por muitas companhias aéreas, como por exemplo, pela Lufthansa (LH) ou a companhia aérea nacional Korean Air (KE) para Seul (SEL). Na Coreia do Sul há voos domésticos excelentes oferecidos pela Korean Air (KE) ou pela Asiana Airlines (OZ), pertencente à Star Alliance para Pu San (PUS), Taegu (TAE), Cheju (CJU) ou Ulsan (USN). De Lisboa (LIS) há voos oferecidos pela Air France (AF) via Paris (CDG), pela KLM (KL) via Amsterdão (AMS); pela Lufthansa (LH) via Munique (MUC) ou Frankfurt (FRA); pela Air China International (CA) em codeshare com a Lufthansa (LH) via Frankfurt (FRA) e Pequim (PEK).

Capital:
Seul, a capital da Coreia do Sul, era também a capital de toda península até 1948. Em sua região metropolitana vivem mais de 22 milhões de habitantes. Quase 45% de toda a população coreana vive e trabalha na região metropolitana. É a terceira maior cidade do mundo, após Tóquio e a Cidade do México. Uma boa visão do tamanho da cidade, tem-se da montanha de Namsam, no centro da cidade. Ele é um destino muito procurado pela população. Seu cimo pode ser alcançado a pé ou por teleférico. No cimo da montanha encontra-se a torre de televisão, o símbolo da cidade, de cuja plataforma pode-se ter uma visão maravilhosa sobre a silhoueta deste centro económico e cultural. A visita à cidade inclui também uma ao palácio de Changdokkung, que foi usado desde o século XVII pelos reis coreanos para eventos comemorativos. Merece ser visto: o portão principal - o mais antigo da cidade; e o portão sul Namdaemun, que foi construído em 1448 e é considerado como a construção mais histórica da Coreia do Sul; mas também a praça do mercado e o pagode no portão leste, construído em 1348. A montanha Gwankasan é uma área de lazer da população coreana. Em sua vizinhança existem várias trilhas para a exploração, dever-se-á planear uma tarde inteira.

Atrações turísticas e praias:
O ponto alto da cultura e história de uma viagem à Coreia do Sul é a visita de Kyongju na costa do sul. O local está a cerca de 330 km de distância de Seul. Foi declarado património da humanidade pela UNESCO. A UNESCO considera o local como um dos sítios culturais e históricos mais importantes da humanidade. Até ao ano de 935 d.C. Kyongju foi a capital de muitas dinastias por quase 1.000 anos e era uma das maiores cidades do mundo, àquela altura. Um número imenso de construções históricas importantes deu o seguinte nome à cidade: “Museu sem Muro”. Muitos templos, antigos túmulos reais e o planetário mais antigo da Ásia testemunham ainda hoje o antigo esplendor e importância deste local. É interessante também, o templo buguksa, que está fora da cidade, pois é um dos sítios budistas mais importantes da Coreia do Sul, e as cavernas Sokurram, onde há uma enorme estátua de buda.

Um outro ponto alto turístico é o Tripitaka Koreana no templo Haein, construído em 1448, e possui um bem cultural reconhecido em todo o mundo. Ali encontram-se perto de 81.200 escritos em blocos de madeira, o maior cânon budista do mundo. Foi declarado património da humanidade pela UNESCO, desde 1995.

Recomendamos as localidades de Haeundae e Songjang, na costa sul da Coreia para um banho de mar. O clima subtropical e as praias de areia tornam a região um dos destinos mais procurados dos sul-coreanos. Também é possível practicar desportos de inverno na montanha sul. Os desportos de inverno são muito practicado pelos coreanos. Ao sul da terra montanhosa encontram-se os três grandes parques nacionais Soraksan, Odaensan e o Chuwangsan, que podem ser acedidos pela auto-estrada costeira, construída em 1978.

Religião:
Cerca de 46% dos sul-coreanos consideram-se sem confissão, 25% são cristãos e outros 25% são budistas e ainda há uma minoria de confucianista e muçulmanos.

Cidades grandes:
Seul, Pusan, Taegu, Inchon, Kwangju e Taejeon.