Camboja (KH)


O Camboja está no sudeste asiático, no Golfo da Tailândia, condivide fronteiras com a Tailândia, Laos e Vietname.

Geografia:
O relevo é formado pela bacia do Camboja, que está no máximo a 30 metros acima do nível do mar. Esta parte ocupa cerca de 60% da superfície do país, os outros 40% são ocupados pelo planalto cambojano, que está limitado ao norte pela Tailândia e Laos; suas montanhas chegam a uma altura com o máximo 1.200 metros de altura.

Montanhas rios:
O Phum Aoral é o ponto culminante do Camboja, com uma altura de cerca de 1.810 metros. O maior rio do país é o Mekong, que percorre cerca de 500 km do território cambojano. O maior lago do Camboja e, simultaneamente, do sudeste asiático é o Tongle Sap. Ele é um dos lagos mais ricos em cardumes de peixes da terra e por possuir plantações de arroz, representa um importante factor económico da agricultura cambojana. As inundações anuais durante as monções garantem a irrigação dos arrozais durante o período de seca. Os reinos incríveis da dinastia do Khmer que encontravam-se junto ao lago não seriam possível sem essa riqueza de alimentos.

Clima e melhor época para viajar:
No Camboja domina todo o ano um clima tropical úmido de Monção, com um período de chuvas entre maio e setembro. As temperaturas são estáveis durante todo ano e alcançam 30° C a 35° C. Mas também o Camboja apresenta também uma umidade irregular que durante o período de monções sobem acima de 90% e no período da seca abaixo de 50%.

Idioma:
O idioma oficial é o khmer. Além deste idioma, há também o chinês-han e vietnamês. Comerciantes compreendem o francês; as gerações novas compreendem o inglês.

Saúde e vacinação:
Recomenda-se a vacinação contra hepatite A, tifo, poliomielite, difteria e tétano. Aconselham-se igualmente roupas que cubram todo o corpo e repelentes contra moscas e insetos que transmitem enfermidades viróticas. No Camboja há grande possibilidade de contracção de malária durante todo o ano. Por favor, informe-se, atempadamente, junto ao seu médico de família ou ao Instituto de Higiene e Medicina Tropical, sobre possíveis profilaxias. Somente em grandes cidades e em centros turísticos estão assegurados bons serviços de assistência médica. É importante possuir um seguro de saúde válido em todo o mundo e que assegure explicitamente a repatriação do Camboja ou a transferência para um outro país, em casos de emergência. Além disto, recomendamos o consumo de água engarrafada; os frutos devem ser descascados e as verduras e legumes deverão ser cozidos. Visto haver perigo de infecção, deve-se portar também um pequeno kit de remédios consigo.

Entrada no país:
É necessário visto. O visto pode ser obtido à entrada no país. Os cidadãos portugueses que pretendam deslocar-se ao Cambojadevem serportadoresde passaporte cujo prazodevalidade mínimoseja, à data de entrada no país, de6 meses.
http://www.mfaic.gov.kh/e-visa/index.aspx

Chegada e prosseguimento da viagem
:
Actualmente não há voos nonstop a partir da Europa para Phnom Penh (PNH). Todos os voos incluem no mínimo uma escala, que em geralmente é em Banguecoque (BKK). De Lisboa (LIS), há voos oferecidos pela Lufthansa (LH) em codeshare com a Air China International (CA) via Frankfurt (FRA) e Pequim (PEK); pela British Airways (BA) em codeshare com a Bangkok Airways (PG) via Londres-Heathrow (LHR) e Banguecogue (BKK); pela KLM (KL) em codeshare com a Thai Airways International (TG) via Amsterdão (AMS) e Banguecogue (BKK); pela Cathay Pacific (CX) via Londres-Heathrow (LHR) e Hongkong (HKG).

Capital:
Phnom Penh é a capital do Camboja, onde residem cerca de 1,5 milhão de habitantes. Está no sudoeste do país, nas margens do rio Tonle Sap, um afluente do Mekong. A cidade é o centro económico do Camboja e recebeu seu nome em 1373 devido ao templo na colina (Wat Phnom Daun Penh), com 27 metros de altura e que foi construído para receber cinco estátuas de buda. Entre as atracções turísticas encontram-se o palácio real, que desde 1939 serve como residência do rei cambojano, muitos pagodes que encontram-se no centro da cidade, o mercado central em estilo da arte déco e o museu nacional que abriga uma grande colecção das esculturas da cultura Khmer.

Atrações turísticas e praias:
Merece ser visitado o tempo de Banteay Chmar, próximo à fronteira com a Tailândia. Até ao presente momento ainda não foi explorado turisticamente e era originalmente cercada por um muro com 9 metros de altura.

Beng Mealea é um outro templo ainda não explorado por turistas, como o templo de Angkor Wat. Este templo, construído no século XII, está a cerca de 80 km de Siam Rep e pode ser acedido muito bem por ônibus.

Uma interessante atracção turística também é Sambor Prei Kuk, a capital do Khmer no século VII e mais de 100 templos diversos que estão espalhados pela selva, que são testemunhos do antigo esplendor e poder dos antigos reis.

Recomendamos também a cidade de Battambang, a 290 km ao nordeste de Phnom Penh. A cidade e as vizinhanças ainda é uma dica secreta e não é tão cheia quanto outras zonas do Camboja. A atmosfera tranqüila, com a arquitetura francesa colonial e a paisagem tropical pitoresca, com vários mosteiros budistas espalhados, que encontram-se na cidade, já é de conhecimento de muitos turistas. Com isto dá-se um aumento do fluxo de visitantes. Economicamente Battambang é o celeiro do arroz do Camboja. Durante todos os anos, há duas colheitas de arroz no solo fértil e o excesso de arroz é um importante fator de captação de divisas.

E também a cidade de Sihanoukville para férias com praias. Está em uma ilha no Golfo da Tailândia. Muitas operadoras de turismo locais oferecem na cidade excursões diária. As ilhas são um verdadeiro paraíso para mergulhadores.

Imperdível:
Na região norte de Angkor encontra-se o templo mais importante do Camboja - Angkor Vat. Este complexo religioso estende-se por uma superfície de mais de 200 km² e é certamente a estação mais importante de toda viagem ao Camboja. Entre os séculos IX e XII foram construídos a 20 km ao oeste do lago Tonle-Sap várias capitais, cujo centro é um grande tempo principal. Até ao momento actual foram descobertos mais de 1.000 templos e santuários de vários tamanhos. No período áureo do reinado do Khmer viviam ali mais de um milhão de pessoas, mais do que na Europa no mesmo período. Até sua “descoberta” estes templos estavam cobertos com floresta. Durante o domínio do Khmer vermelho no último século não foi possível fazer trabalhos de restauração nos templos. Actualmente, porém, há muitas organizações ocupadas em preservar os templos e protegê-los. Estes templos são visitados diariamente por muitos turistas e monges budistas. É impressionante o sistema de alimentação de água que foi construído artificialmente para garantir o fornecimento a cerca de um milhão de pessoas. Angkor Wat é o símbolo nacional do país; que encontra-se em vários elementos com a bandeira nacional e notas. O areal pode ser alcançado facilmente do aeroporto internacional em Siem Reap. O aeroporto desenvolveu-se nos últimos oanos em um destino muito lucrativo e também é o destino de muitas companhias aéreas low cost da Ásia.

Religião
:
Cerca de 95% da população é budista, os mulçumanos são 3% e os cristãos são 2%.

Cidades grandes e acomodação
:
Phnom Penh, Sihanoukville, Battambang, Siem Reap, Sisophon e Kratie.