Camarões (CM)


Os Camarões são um país da África Ocidental, no Golfo da Guiné, delimitado pela Guiné Equatorial; Gabão, Congo, Chade, Nigéria e pela República Centro-Africana. Os portugueses denominaram o homónimo rio, de cuja denominação originou-se o nome do país: “Rio dos Camarões”. Em 1844, por meio de acordos com chefes de tribos, a Alemanha passou a denominar aquela área de “Kamerun”.

Geografia:
O terreno é dominado principalmente por planaltos planos, que elevam-se ao norte no planalto de Adamwa e declivando nas planícies do lago do Chad. A parte ocidental da República é marcada por uma cadeia de montanha de origem vulcánica, que está na costa e é sobrepujada pelo vulcão activo Montanha dos Camarões. Os planaltos ao sul são recobertos pela floresta tropical e rebaixam-se a planícies largas nas costas.

Montanhas e rios
:
A montanha dos Camarões é a maior do país. É também conhecida por Fako e tem 4.070 metros de altura. O maior rio dos Camarões é o Sanaga, com um comprimento de 920 km. O lago do Chad é o maior do país, que os Camarões dividem com outros estados. Devido ao período das secas o nível de água deste lago varia. Sua superfície está entre 10.000 e 25.000 km2.

Clima e melhor época para visitar
:
Em Camarões domina o ano inteiro um clima tropical, que apresenta diferenças regionais. A parte norte do país é húmida, enquanto que na época de chuvas, entre Julho e Setembro cai somente pouca chuva e a cada dois anos há secas. Na parte central do país, no planalto, as temperaturas são mais suaves e chove relativamente bastante. As planícies ao sul da Montanha dos Camarões são considerados como uma das áreas mais chuvosas da terra. Finalmente, ainda nas planícies costeiras ao sul, onde domina um clima equatorial quente, há uma grande pluviosidade.

Idioma:
Os idiomas oficiais são o francês e o inglês. E há também outros idiomas como o bantu e o semibantu e outros idiomas africanos regionais. Português e outras línguas europeias não são compreendidas.

Saúde e vacinação:
Recomenda-se a vacinação contra hepatite A, tifo, poliomielite, difteria e tétano. Recomendam-se igualmente roupas que cubram todo o corpo e repelentes contra moscas e insetos que transmitem enfermidades viróticas. Segundo a Organização Mundial de Saúde, a República dos Camarões é uma área em que há alta possibilidade de contracção de malária http://pt.wikipedia.org/wiki/Paludismo#Progress.C3.A3o_e_sintomas e também de febre amarela. É exigido o comprovante internacional de vacinação de febre amarela para todos, à exceção de passageiros em trânsito, maiores de um ano de idade. Nos Camarões domina o ano inteiro um alto perigo de contágio de malária. Por favor, informe-se, atempadamente, junto ao seu médico de família sobre possíveis profilaxias. Somente em grandes cidades estão assegurados bons serviços de assistência médica. É importante possuir um seguro de saúde válido em todo o mundo e que assegure explicitamente a repatriação dos Camarões em casos de emergência. Além disto, é aconselhável beber água mineral engarrafada e evitar consumir alimentos que se vendem nos postos ambulantes; os frutos devem ser descascados e as verduras e legumes deverão ser cozidos. Visto haver perigo de infecção, deve-se portar também um kit de medicamentos consigo.

Entrada no país:
Os cidadãos portugueses deverão apresentar: passaporte válido no mínimo por seis meses. Actualmente há exigência de visto de turista, cuja estadia não ultrapasse aos 90 dias. O visto de turista ou de negócios deverá ser solicitado na embaixada dos Camarões. Sua validade é de 1 a 3 meses. Para visitantes menores, recomenda-se que portem seus passaportes individuais com foto. Não é reconhecido o menor inscrito no passaporte de um dos genitores. Portanto, não poderá entrar no país.
Para maiores informações a respeito de recentes determinações legais quanto à vacinas, entrada e segurança, informar-se junto ao consulado ou no seguinte enlace:
http://www.secomunidades.pt/web/guest/listapaises/CM

Chegada e prosseguimento da viagem
:
Actualmente, só há voos directos da Air France (AF) de Paris (CDG). De Lisboa (LIS) só há voos indirectos da Swiss International Airlines (LX) e da Royal Air Maroc (AT), respectivamente, via Zurique (ZHR) e Casablanca (CMN). A companhia aérea líbia, Armavia (8U), mas esta conexão engloba uma escala em Trípolis.

Capital:
Yaoundé, a capital dos Camarões, com seus cerca de 1,3 milhões de habitantes é a segunda maior cidade do país. Está a uma altura de 730 metros acima do nível do mar e foi originalmente construída sob sete ilhas. Na cidade domina, devido à sua altura, um clima agradável e fresco. Yaoundé é o centro administrativo do país. E ainda merece ser vista é a cascata do Rouxinol no rio de Sanga e a floresta da região, na qual ainda vivem gorilas.

Atrações turísticas:
Duala, com cerca de 1,5 milhões de habitantes é a maior cidade do país a cerca de 24 km da costa. A cidade é o centro cultural e económico do país e é dominada pelo vulcão Camarões, que com 4.070 metros é a maior montanha da África Ocidental. Ainda merece ser visto a catedral, o porto, o museu e a ponte de Wouri. Ainda recomendável ainda é uma visita à cidade portuária de Kribi, que é um ponto de saída ideal para excursões às aldeias de pigméus bacas e à praia de Londji, a mais bonita dos Camarões.

Para Safari recomendamos o Parque Nacional de Waza, que foi declarado património mundial da Unesco em 1968. Em Waza pode-se admirar os elefantes, os macacos, as girafas, os antílopes, os leões, bem como 400 tipos de aves.

Religião:
Cerca de 45% dos camaroneses são cristãos, 20 % são muçulmanos e 35 % professam religiões da natureza.

Cidades grandes e acomodação: Yaoundé, Duala, Garua, Bamenda, Maroua, Bafoussam, Kousseri, Ngaoundere, Kumba, Loum e Nkongsamba.