Butão (BT)


  • Land Butão
  • Continente: Ásia
  • Área: 47,000 km²
  • Habitantes: 672,425
  • Capital: Thimbu
  • Código ISO: BT
  • Idioma oficial: butanês (dzonga)
  • Prefixo: +975
  • Moeda: ngultrum, rúpia indiana
  • Matrícula automóvel: BHT
  • Rotas de Butão: 14
  • Rotas para Butão: 14
  • Aeroportos mais procurados: Gelephu (GLU), Paro (PBH), Yongphulla (YON), Jakar (BUT)
  • Cidades grandes: Phuntsholing, Pajo, Tashi Yangtse, Mongar, Tongsa, Taga Dzong, Paro, Ha, Panbang, Tashigang, Shemgang, Nganglam, Daifam, Bhangtar, Gasa
  • Companhia com sede em Butão: Druk Air

O Butão é um reino independente do Himalaia, na Ásia do Sul e fronteiriço ao sul dos Estados indianos de Sikkim, Bengala Ocidental, Assam e Arunachal Pradesh (de oeste para leste), e ao norte pelo Tibete (China).
Desde a promulgação da Constituição de 2008, o Butão era formalmente uma monarquia constitucional com um sistema bicameral, em que o Senado é chamado de Conselho Nacional e da Câmara como Assembleia Nacional. Chefe de Estado continua a ser o rei (Druk Gyalpo). As eleições democráticas para a câmara baixa teve em 24 de Março de 2008.
O país foi aberto ao turismo apenas com muita cautela. A capacidade das infra-estruturas públicas, hotéis e o transporte é escasso e caro. No ano passado, o Reino do Butão registrou menos de 20.000 visitantes. Os turistas, no entanto, tem a oportunidade de mergulhar em uma cultura que pouco mudou durante milhares de anos.

Geografia:
O relevo do Butão é marcado pelo Himalaia. Mais de 80% de sua superfície está acima de 2000 m de altitude. O país é dividido em três regiões. No sul, perto da fronteira indiana, corre o Vale de Duar, um estreito vale, que está entre o sopé das planícies do Ganges-Brahmaputra. No Norte da mesma, o terreno se eleva acentuadamente. As montanhas de 2000-3000 m de altura antes dos Himalaias são a principal área de assentamento humano. Na fronteira com a China, encontra-se a região do Planalto de Lunana. Montanha mais alta do país é o Kula Kangri 7553 m.

Aeroportos:
O Aeroporto Internacional de Paro encontra-se a cerca de 6 km ao sul de Paro, uma pequena cidade a 70 km ao oeste da capital, Thimphu. Há dois acessos possíveis ao país: Indian Airlines oferece voos via Nova Délhi para Bagdogra, que encontra-se a cerca de três horas em automóvel de a Phuntsholing (fronteira). Alternativamente, há aviões de Banguecoque (5 vezes por semana), Nova Délhi, Katmandu, Daca e Calcutá (5 vezes por semana) e depois prosseguir com a Druk Air (companhia aérea nacional do Butão) para Paro (2-3 vezes por semana). Com reservas prévias junto a agências butanesas, os passageiros poderão ser transportados a partir da Índia.

Capital:
A capital, Thimphu (2400 m acima do nível do mar), encontra-se ao oeste do país, às margens do Rio Wang Chu. Diretamente na margem, encontra-se um dos edifícios mais impressionantes do país, o Palácio Tashichho Dzong, um importante centro administrativo e religioso do país, com 100 salas, em que estão o salão da Assembléia Nacional, a sala do trono do rei e o maior mosteiro do país. Em Timphu merece ser apreciada também a escola de pintura tradicional, em que técnicas de pintura butanesa e, inclusive, a produção de thangka, são ensinadas.

Cidades:
Phuntsholing, centro comercial e industrial e porta de entrada para o Butão; Punakha, antiga capital do país; e Trongsa, a tradicional residência da família real.

Atrações turísticas:
Butão é provavelmente o país mais misterioso e arcaico no Sudeste Asiático. A admissão de turistas sé permitida somente em regiões específicas e em número limitado. A principal atração do país são os passeios culturais pelas aldeias e mosteiros da região. O «Manas Game Sanctuary» é uma reserva natural selvagem ao sudeste do país. Ali os visitantes podem ver um grande número de espécies selvagens. Para visitar o os mosteiro na falésia de Dzong Manas e da reserva natural, são necessárias autorizações especiais.

Religião:
A religião do estado (75%) é o Budismo. Além desta religião, há ainda a presença de hinduístas (25%), que fora introduzida e estabelecida por imigrantes indianos e nepaleses.