Albânia (AL)


  • Land Albânia
  • Continente: Europa
  • Área: 28,748 km²
  • Habitantes: 3,540,000
  • Capital: Tirana
  • Código ISO: AL
  • Idioma oficial: Albanês, Grego
  • Prefixo: +355
  • Moeda: Lek
  • Matrícula automóvel: AL
  • Rotas de Albânia: 697
  • Rotas para Albânia: 576
  • Aeroportos mais procurados: Tirana - Madre Teresa (TIA)
  • Cidades grandes: Tirana, Durrës, Elbasan, Vlorë, Shkodër, (( Fier-Çifçi )), Korçë, Berat, Lushnjë, Kavajë, Laç, Gjirokastër, Patos Fshat, Krujë, Lezhë

A Albânia é um país no sudeste da Europa que faz fronteira com a Sérvia, a República da Macedónia, a Grécia e Montenegro.

Geografia:
É um dos menores países da Europa. Possui uma costa de 360 km no Mar Adriático e no Mar Jónico. Estende-se por cerca de 345 km, de norte ao sul; e por cerca de 145 km, de leste para oeste - com isto, a costa tem 360 km. Mais de dois terços do território albanês são montanhosos: a altitude média é de 700 m acima do nível do mar. Ao norte, estendem-se os Alpes Albaneses, onde encontra-se sua montanha mais alta; o centro é formado de planaltos e vales montanhosos. De Shokodrasse, no norte, até Vlora, no sul, estende-se ao longo da costa uma planície aluvial, com poucos quilómetros de largueza e, em parte, palúdica. A costa do Mar Jónico é também montanhosa e com várias montanhas com mais de 2.000 metros.

Montanhas e rios:
A montanha mais alta do país é o Korab, com uma altura de 2.764 metros, na fronteira com a Macedónia. O rio mais longo é o Drin, com 285 km, cuja nascente está no lago de Ezero, na Macedónia e desemboca no Mediterrâneo. A Albânia também possui inúmeros lagos. Os maiores são o lago de Shkodra (parte do lago de Ezero) e o lago de Prespa.

Clima:
Na Albânia vige um clima mediterrâneo, com uma temperatura média de 16° graus. Os verões são quentes e húmidos, com temperaturas que podem chegar aos 40°. As precipitações anuais chegam aos 1.200 mm. Nas diversas paisagens encontramos também diversos climas. A diferença entre as regiões montanhosas ao norte e ao leste, com invernos muito rígidos e verões amenos; e ao sul da Albânia, por exemplo, em Saranda, registam-se quase 300 dias de sol ao ano! Em regiões interioranas, ao contrário, o clima é distintamente continental, caracterizado por invernos frios e verões aprazíveis.

Idioma oficial:
A língua oficial é o albanês. A população da Albânia é uma das mais homogéneas do mundo. 94% da população albanesa pertence ao grupo dos guegos, ao norte ou ao grupo dos toscos, ao sul. Estes grupos falam seu dialecto próprio, mas compreendem-se reciprocamente.

Saúde e vacinas:
Embora seja possível encontrar um bom médico na Albânia, é necessário ter em mente que o sistema de saúde não corresponde aos padrões da Europa Ocidental. Portanto, é aconselhável que se faça um seguro de doença para o exterior que inclua o repatriamento em casos graves. E não esquecer também de portar medicamentos, pois muitas vezes não são disponíveis no local. Para evitar infecções, beber somente água engarrafada. É também importante ter em mente que - embora diminuam os casos de hepatite, gastroenterite, salmonelose, tuberculose, meningite - a precaução médica é importante: a vacinação.

Entrada:
É necessário o passaporte ou alternativamente o bilhete de identidade, válido para o expatriamento.

Chegada e prosseguimento da viagem:
Muitas companhias aéreas europeias oferecem conexões para a capital, Tirana. Entre essas, encontram-se a Alitalia, Adria Airways, Lufthansa, Malev ou Turkish Airlines. Mas não existem voos domésticos no país. O principal meio de transporte na Albânia são os autocarros de carreira, sempre irremediavelmente super-lotados. Nas autoestradas que levam à Sérvia, ao Montenegro, à República da Macedónia e à Grécia deve ser pago um pedágio de um euro por dia. É aconselhável pagar este pedágio somente ao final da entrada. Não espere autoestradas perfeitas. Se desejar conduzir, deverá recordar-se de que é necessário acompanhar a carta de condutor portuguesa com tradução ofical para o albanês.

Capital:
Tirana encontra-se junto do sopé da montanha de Datji, a cerca de 30 km do mar. É circundada por um terreno colinoso. Foi fundada em 1.614 e desde 1.920 é capital do país. A população de Tirana cresceu muitos nas últimas décadas - estimam-se entre 60.000 a 1.000.000 de habitantes, o que provocou uma série de problemas, entre os quais: a falta de ordenamento urbano e uma considerável poluição atmosférica. Actualmente, porém, está previsto um plano de reestruturação para embelezar a cidade. Estão planeadas zonas verdes com palmeiras que deverão restituir o carácter mediterrâneo da cidade. A cidade oferece algumas belas atrações aos visitantes: vários museus, galerias, centros culturais - como por exemplo, o palácio do congresso, o palácio da cultura, a ópera, o museu nacional de história e a galeria nacional de arte. Durante um passeio pela cidade, pode-se admirar o monumento Skandenberg, na homónima praça, e a torre do relógio com 35 metros. A mesquita Et'hem-Bey é a única ainda existente. Pinturas estupendas decoram as paredes internas de sua entrada e de seu interior. E pode-se subir ao minarete, de onde o visitante tem uma vista única sobre a cidade.
Aqui encontra-se também o único aeroporto da Albânia para fins civis. Recebeu o nome de Madre Teresa de Calcutá e está a cerca de 30 km ao norte de Tirana.

Atrações turísticas:
A Albânia, devido à sua história agitada, não é uma meta turística muito ambicionada. Mas isto deverá modificar-se nos próximos anos, pois o país tem muito a oferecer em termos de belezas naturais, artísticas e históricas. E, por isto, há projectos infra-estruturais para os próximos anos que deverão contribuir para o aumento de turistas.

Saranda é uma cidade portuária, mas também é um sítio balneário muito apreciado, na costa do Mar Jónico. De lá, pode-se chegar de barco rapidamente a Corfú, que está somente a alguns quilómetros de lá. Nas vizinhanças de Saranda existe uma das maravilhas mais famosas da Albânia: as ruínas de Butrint. Esta cidade antiga foi somente excavada em um quinto e encontra-se em uma península no Mar Jónico - foi declarada em 1992 como património cultural da humanidade. Butrint foi fundada em 167 A.C. pelos gregos e foi dominada, ao longo de sua história, pelo Império Romano, pelo Império Bizantino e pela República de Veneza. A cidade foi abandonada e suas ruínas foram redescobertas somente depois da Segunda Guerra Mundial. Pode-se admirar um teatro antigo, as termas romanas e uma basílica cristã do século VI.

A cidade de Durres encontra-se na costa adriática, a 30 km a oeste de Tirana. É a segunda maior cidade da Albânia e o porto principal do país. Foi fundada em 627 pelos gregos e, graças à sua posição estratégica, tornou-se uma cidade importante no Império Romano. Esta cidade possui numerosos edifícios que remontam a este período, entre os quais, um teatro antigo do século I, que é o maior da região dos Bálcãs e da Macedónia. Encontra-se no centro da cidade nova, mas está bem conservado. Em Dürres está o porto albanês mais importante. Outros portos encontram-se em Shengjin e Vlora. De Düres e Vlora há uma ligação regular para a Itália (Brindisi, Bari, Ancona e Trieste) e para a Grécia (Igoumenitsa e Patras).

Apolonia foi fundada em 588 A.C. pelos gregos, próximo à cidade de Vlora. Como Durres era um importante porto estratégico pelos romanos, entre as várias regiões devido ao comércio de escravos. Depois de seu declínio no século III, seu papel foi assumido por sua vizinha: Vlora. As excavações desta antiga cidade inciaram-se no século XVIII e ainda não foram concluídas. A cidade foi destruída duranta a Segunda Guerra Mundial e sofreu vários saques. A Albânia não possui somente maravilhosas cidades antigas, mas também colónias importantes no Mediterráneo.

A Albânia não se orgulha somente de cidades antigas maravilhosas, mas também de cidades medievais. A cidade de Kruja está situada a cerca de 40 km ao norte de Tirana e é um dos exemplos mais felizes de arquitectura mediterrânea albanesa. Era a capital do reino de Skandeberg durante o domínio otomano. Kruja possui um castelo que ainda hoje é habitado e ruelas de pedra - que representa um ánimo tipicamente mediterrâneo. Na cidade encontra-se o museu etnográfico mais rico do país, bem como o museu dedicato ao herói nacional: Skanderbeg.

Sobre a cidade de Shkodra, a maior do norte da Albânia, está a citadela de Rozafa, uma das citadelas mais bem conservadas do país, de onde pode-se ter uma visão panorámica sobre a cidade e seus arredores.

A citadela de Berat também goza de grande fama entre os amadores da arte medieval graças às suas casas construídas em estilo otomano; as ruínas de suas duas mesquitas e numerosas capelas adornadas por ínumeros ícones.

A Albânia brilha também por sua natureza variada e selvagem, às vezes. A paisagem convida ao passeio, seja como excursão diária ou por vários dias nos Alpes Albaneses. Aos excursionistas especializados pode-se aconselhar o percurso da vila Theth até à vila de Dragobi, passando pelo Vale de Valbona.

Depois de haver visitado numerosas cidades antigas e caminhado pelos Alpes, pode-se ir para a riviera albanesa que estende-se por mais de 100 quilómetros, da baía de Vlora até à fronteira com a Grécia. Conversa ainda hoje uma beleza selvagem. O mar é límpido e agradável e o sol brilha todos os dias na fila de casas que adornam a costa, das quais Palasa, Dhermi, Vunoi, Jali ou Himara merecem ser vistas.

Praias:
Para tomar um banho, é aconselhável o lago de Ezero, na fronteira com a Macedónia. Ele encontra-se em uma paisagem maravilhosa e é chamado «Mar dos Bálcãs» por causa da cor da água. Nas vizinhanças do lago está o parque nacional de Galícia, muito bonito.

Religião:
60% da população é de religião mulçumana sunita; 25% cristão ortodoxa; e 17% católica.

Cidades:
As cidades principais são Tirana, Durres, Elbasan, Shkodra e Vlora.